iG

Publicidade

Publicidade

25/08/2009 - 14:44

Fissuras nas paredes

Compartilhe: Twitter

Gostaria de uma dica para uma parede de pé direito duplo que possui uma trinca imensa. O que posso fazer, uma vez que já fiz alguns reparos mas nada adiantou, a trinca volta. Essa trinca não abala a estrutura da casa, mas fica feio, afinal, ela está localizada em minha sala de estar. Outra situação que me incomoda muito é o barulho, por conta do pé direito de 6 metros. O que posso fazer para diminui-lo.
Grata
Alessandra

Olá, Alessandra, sobre trincas respondo neste post sobre acústica respondo em outro. Primeiro você precisa descobrir o que causa a trinca. Será que é uma conformação da estrutura numa obra recente? Será falta de verga ou contra verga sobre uma vão de janela? Ou será que o reboco foi feito incorretamente, nas proporções erradas ou ficou muito grosso? Muitas coisas podem causar trincas e nem sempre são sérias, mas, geralmente, o conserto não é apenas na pintura. O que eu vejo meus fornecedores fazerem é descascar bastante até o tijolo ou bloco, ou seja, é uma intervenção média na sua sala.

Trincas e fissuras ocupam o segundo lugar entre os defeitos mais comuns na construção civil, perdendo apenas para os problemas de umidade. Elas são causadas pela movimentação de materiais e componentes da construção e, em geral, tendem a se acomodar. Podem ainda ser consequência da ocorrência de vibrações na área. Somente devem causar preocupação quando sua abertura ultrapassa 3,2mm.

Apesar de ser difícil avaliar o problema sem conhecer a situação, normalmente as trincas de lajes que denunciam fragilidade na estrutura podem ser identificadas quando formam ângulo de 45º em relação à laje, são próximas aos cantos e se dirigem ao centro da laje. Outro tipo que apresenta risco é a trinca que não toca a parede. Fissuras em forma de flor próximas a um pilar ou as que lembram flechas também merecem cuidado. Já trincas isoladas, que atinjam a parede, não devem preocupar muito.

Para tentar eliminar problemas dessa natureza de pequena grandeza, sugere-se:

a) para pequenas fissuras, a solução tradicional é retocar o reboco usando argamassa ou massa acrílica, mas as fissuras podem reaparecer. Outra alternativa é passar tinta elastomérica pura na região e depois aplicar duas ou três demãos do mesmo produto, diluído conforme indicação do fabricante.

b) para pequenas trincas, formar, sobre ela, um “V”, com uma ferramenta chamada abre-trinca, ultrapassando 10cm em cada extremidade. Limpar a superfície e aplicar fundo preparador de paredes. Preencher a fenda com sela-trinca ou argamassa e colocar uma tela de poliéster. Acertar com massa e usar tinta elastomérica.

Veja algumas dicas da Suvinil:

A presença de trincas na superfície propicia a infiltração de umidade para o interior do substrato, acelerando a degradação tanto do substrato como da pintura (manchas, bolhas, descascamentos, etc), assim é fundamental o correto tratamento dessa patologia a fim de garantir uma maior durabilidade da pintura.

A trinca possui uma ação dinâmica, ou seja, sua espessura altera conforme a movimentação da estrutura ou variação de temperatura, portanto o tratamento de trinca necessariamente precisa de um sistema flexível que absorva essas variações e isole o acabamento (pintura), não permitindo o reaparecimento da trinca. Segue abaixo o procedimento:

1. TRATAMENTO DE TRINCAS DINÂMICAS EM ALVENARIAS

1.1 Abrir a trinca com ferramenta especial (“abretrinca”) ou espátula de aço, em forma de “V”, com 1,0cm de largura por 1,0cm de profundidade (ver foto abaixo);

1.2 Remover toda a pintura e parte superficial do reboco (1 a 2 mm) numa faixa de 10 a 20 cm de largura (conforme largura da tela), sendo que o eixo da trinca deve ficar sempre no centro (vide foto abaixo);

1.3 Remover todo o pó da trinca aberta e das faixas laterais;

1.4 Aplicar na trinca e faixas laterais uma demão de Suvinil Fundo Preparador para Paredes base água diluído com 10% de água limpa. Utilizar uma trincha para aplicação. Aguardar 4 horas para secagem;

1.5 Preencher a trinca aberta com Suvinil Selatrinca, utilizando uma espátula ou aplicador. Aplicar apenas no veio da trinca, preservando-se as faixas laterais. Aguardar intervalo de 48 horas para secagem;

1.6 Aplicar a segunda demão do Suvinil Selatrinca sobre a trinca, da mesma forma que no item anterior. Aguardar 24 horas para secagem;

1.7 Aplicar sobre a trinca, e nas faixas laterais, o Suvinil Suviflex, diluído com 10% de água. Esta aplicação pode ser feita com trincha ou brocha. Aguardar intervalo de 4 horas para secagem;

1.8 Aplicar segunda demão do Suvinil Suviflex da mesma forma do item anterior. Nesta etapa deve ser fixada, intercalada por camadas do Suviflex, a Tela de Poliéster (10 a 20 cm de largura), sobre toda a faixa em recuperação. Aguardar intervalo de 4 horas para secagem;

1.9 Nivelar a superfície com Suvinil Massa Acrílica ou textura de modo ao acabamento ficar semelhante ao já existente na superfície.

Autor: - Categoria(s): construção, dicas, pergunte que respondo Tags: , ,
Voltar ao topo