Publicidade

Publicidade

Arquivo de julho, 2009

28/07/2009 - 20:37

Quebrando a mesmice nas cores

Compartilhe: Twitter

Meu sofá é marrom e meus móveis são cor tabaco. De qual cor eu pinto a minha parede? E qual cor de cortina eu coloco?

Olá Ivani,

Está tudo muito marron na sua vida…E u diria para você colocar um xale colorido sobre seu sofá tipo verde ou roxo… Depois você poderia pintar as paredes de um bem claro um offwhite da coral chama sonho lilás dulux 50rb 73/024.

Colocar uma cortina tipo rolo branca e por cima um voil (voal como o povo fala) colorido puxando para a cor do xale.

 

imagens: revista wallpaper

Os demais complementos como mesas, poltronas, poderiam ser de linhas mais arrojadas e diferentes não no tom tabaco! A iluminação bem clara e destacada e objetos brancos e beges.


As peças acima são de Materiais nobres em desenhos suaves trazem leveza e elegância a esta combinação. Design de Marcus Ferreira, a mesa de jantar Onda (2,30×1,10×0,75m), da Decameron Design tem estrutura de ripas de madeira freijó e tampo de vidro, R$ 12.355,00. Igualmente graciosa é a cadeira Donna com braços (0,86×0,57×0,52m), que tem estrutura de madeira maciça, estofado de camurça de microfibra e braços de laminado curvo, de Fernando Jaeger, R$ 721,00. Mais contemporâneo, o modelo Anita (0,45×0,50×0,89m), desenhado por Aristeu Pires para a Dpot, é feito de madeira maciça tem o com assento estofado, R$ 680,00

Vale a pena conferir os valores, pois podem estar defasados!

Autor: - Categoria(s): dicas, pergunte que respondo Tags:
24/07/2009 - 14:08

Cursos de manutenção residencial

Compartilhe: Twitter

Boa tarde!

Li algumas dicas no Blog Casa e gostaria de saber se há cursos ou algum tipo de edição que ensine serviços de pequenos reparos e manutenção de casa.

Grato, Marcelo

Olá Marcelo, não conheço nenhum curso tão específico assim, mas imagino que se você fizer um curso mais amplo poderá atuar nas coisas menores também.Encontrei este curso pelo SECOVI (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo)

Com o objetivo de proporcionar aos participantes uma visão geral de edificações e de sistemas elétricos, hidráulicos e sanitários em seus aspectos de manutenção e conservação, a Universidade Secovi realiza,  na sede do Secovi-SP, o curso Manutenção Predial para Edifícios Residenciais, ministrado pela equipe técnica do Senac.

O foco dessa iniciativa está em preparar os alunos para que eles visualizem as edificações como sistemas abrangentes. Além disso, este curso envolve as seguintes ações:

• Compreender a visão geral de uma edificação incluindo fundações, estruturas, acabamento e instalações;

• Identificar os conceitos básicos que envolvem a compreensão de sistemas elétricos e eletrônicos, hidráulicos e sanitários;

• Solucionar problemas de emergência como faltas de luz, água e telefone;

• Planejar trabalhos de manutenção preventiva;

• Compreender sobre o uso de novos equipamentos.

A iniciativa conta 35 pontos para o PQE na área de Administração de Condominios, Compra e Venda, Locação, Loteamento. Informações. Para mais informações e inscrições, acesse o link abaixo.
http://www.secovi.com.br/universidade/grade_curso/mostra_curso.php?curso_id=494

Fonte: Secovi-SP

Autor: - Categoria(s): miscelanea Tags:
24/07/2009 - 13:08

Siga as instruções!

Compartilhe: Twitter

Boa tarde,
Gostaria de saber se um piso pode estourar/descascar, por causa de um rejunte aplicado em uma área externa antes de 72 horas.

Olá Solange,

Não conheço nenhuma história neste sentido, o que poderia ter acontecido, algo ter caído? Passa carro por cima? O piso é de fato para ser aplicado em áreas externas?

Precisa saber que tipo de rejunte usou, rejunte comum? Não é para acontecer isso. Usou a espessura do rejunte conforme pede a especificação do revestimento? Existem especificações para que sejam respeitadas larguras mínimas entre as peças e portanto se encontram a venda espaçadores certos para colocar entre as peças, já que o material incha e desincha se movimentando com calor e frio. Portanto, ele necessita de espaço flexível para esta movimentação. Verifique se não é isso.

Aconselho também ligar para o SAC do fabricante do revestimento.

Em todo caso veja estas dicas sobre rejuntamentos:

As juntas de assentamento servem para:

a) Absorver a dilatação que há nas peças de cerâmica. Essa dilatação é provocada pelo calor e quando a temperatura fica mais amena as peças de cerâmica se contraem, então, sendo assim, o rejunte age como um amortecedor evitando que os pisos trinquem ou se soltem empinando as peças;

b) Atender a estética, harmonizando o tamanho das peças cerâmicas e as dimensões do plano a revestir com as larguras das juntas entre as peças cerâmicas;

c) Facilitar o perfeito preenchimento da argamassa;

d) Facilitar a troca de peças cerâmicas em eventual necessidade.

Como Rejuntar?

Para realizar o processo de rejuntamento, utilizar as ferramentas adequadas. Rejuntar somente depois de 72 horas após o assentamento das peças. Para serviços urgentes utilizar rejuntamento rápido, após 3 a 4 horas do assentamento das peças.

As juntas de assentamento devem estar limpas. As áreas externas devem ser protegidas com uma lona para impedir a incidência direta do sol e da chuva.

As juntas de até 3 mm de largura devem ser umedecidas antes da aplicação do rejuntamento.
Aplicar o rejuntamento com uma desempenadeira de borracha, evitando o atrito com as superfícies das peças. Pressionar o rejuntamento para dentro das juntas, preenchendo-as completamente. Esperar no mínimo 15 minutos e no máximo 40 minutos antes de remover o excesso de rejuntamento com uma esponja macia e úmida.

O revestimento só deve ser liberado ao tráfego de pessoas preferencialmente sete dias após o rejuntamento e de automóveis quatorze dias após. Nos casos normais, o revestimento de piso deve ser protegido com aplicação de serragem, sacos de estopa e retalhos de madeira compensada.

Largura do rejunte

Áreas internas: para placas com lado maior de no máximo 20 cm, usar juntas de no mínimo 3 mm, aumentando no mínimo 1 mm para cada 10 cm de aumento da placa. Exemplo: uma placa com lado maior de 31 cm deve ter junta de no mínimo 4 mm;

Áreas externas ou sujeitas à grande umidade:
a partir de placas não teladas de lado maior 10 cm, usar juntas de no mínimo 5 mm, aumento 1 mm para cada 10 cm de aumento do lado da placa;

Porcelanato:
usar juntas de no mínimo 3 mm.

Escolha do rejunte

A cerâmica e o rejuntamento certos para cada ambiente:

Sala: É o cartão de visitas da casa, local de reunião de família e dos amigos. Local sujeito a receber resíduos de poeira, areia e constante arrastar de moveis. Usar cerâmica com, no mínimo, PEI 3, limpabilidade classe 5, e rejunte industrializado de boa qualidade.

Quarto:
Espaço íntimo e de repouso, local de impecável higiene. Usar no mínimo PEI 3, limpabilidade 5 e rejunte industrializado de boa qualidade, de preferência aditivado e/ou impermeabilizado.

Cozinha:
Local onde se prepara e se faz as refeições. A higiene deve ser impecável. Usar no mínimo PEI 3, limpabilidade 5 e rejunte impermeável (à base e epóxi) ou à base de cimento, aditivado e/ou impermeabilizado.

Banheiro:
Local onde se cuida da higiene pessoal, sujeito à grande umidade, principalmente por vapor de água. O assentamento e rejuntamento devem evitar a proliferação de fungos e bactérias. Usar no mínimo PEI 3, limpabilidade 5 e rejunte impermeável (à base de epóxi) ou à base de cimento, aditivado e/ou impermeabilizado.

Quintal, garagens e corredores:
Áreas sujeitas à pressão por peso, manchas (inclusive de óleo), grande tráfego de pessoas, brincadeiras de crianças e constante umidade. Usar no mínimo PEI 4, limpabilidade 5 e rejunte a base de cimento, aditivado e/ou impermeabilizado.

Áreas comerciais:
Em função do alto tráfego, a resistência do esmalte e a limpabilidade são fundamentais. Em lojas, lanchonetes, bancos, restaurantes, escolas, hospitais, hotéis e escritórios, usar no mínimo PEI 4. Em locais com tráfego super intenso (shoppings, rodoviárias, aeroportos, indústrias, etc), usar PEI 5. Em áreas de extrema higiene (hospitais, por exemplo), usar rejunte impermeável (à base de epóxi). Em outras áreas, usar rejuntes industrializados de boa qualidade, aditivados e/ou impermeabilizados.

Como rejuntar Porcelanato

Para rejuntar o Porcelanato, deve-se utilizar rejuntes flexíveis à base de epóxi, que sejam hidro-repelentes e tenham tratamento antifungos. Quanto à cor, prefira os que sejam da cor do produto. O rejunte deve ser aplicado em pequenas áreas de cada vez e limpos em seguida com um pano limpo, evitando-se com isso possíveis manchas. É aconselhável aplicar o rejunte 72 horas após o assentamento das peças. Aguardar mais 72 horas de rejuntado para liberar o tráfego para pessoal da obra e 14 dias para tráfego total.

Fonte: Rede Caetano

Autor: - Categoria(s): construção, dicas, pergunte que respondo Tags: ,
24/07/2009 - 12:50

Ideias novas para a sua casa

Compartilhe: Twitter

Quero ideias novas para a minha casa.

Ola Luciani,

Você vai direto ao assunto hein? Ideias novas… Deixa eu ver… Como a CASA COR 2009 já acabou aqui em São Paulo, posso te ajudar com algumas imagens e dicas. Eu estive lá e fotografei os ambientes que mais gostei e que trouxeram algumas ideias inovadoras – sobretudo de bom gosto – e que realmente usáveis no dia-a-dia. Gosto muito deste evento para reciclar o uso dos materiais que parecem ter se esgotado.

Mas não, eles tem uma sobrevida! E aparecem em formato diferente, ou em vez de estar no piso, está na parede e vice-versa, ou misturado com outro material e, portanto, compondo novos usos e novas leituras.

Também vi materiais novos , importados, nacionais, lançamentos, e portanto este evento se você tem a oportunidade, tempo e dinheiro para poder visitar vale a pena para se familiarizar um pouco com todas estas novas ideias.

Sempre vejo que uma boa parte dos visitantes são estudantes ou profissionais do setor, ou seja , fica fácil de a gente entender os projetos, sacar os erros e elogiar os ambientes que realmente trouxeram algo novo. Para o público leigo, é um pouco difícil de entender tudo, mas todos ficam maravilhados pelo que os decoradores e arquitetos conseguem criar. Elem deveriam tornar a amostra mais legível e até fornecer guias!

Deste modo te mando um pouquinho daquilo que considerei novo e que conseguiu equilibrar espaço, revestimentos, ideia e bom gosto.

Não reparar na qualidade das fotos!

Ambiente de home theater que também tem lareira e biblioteca

Detalhe maravilhoso em cortina mostrando que janela também se veste bem

Cabeceira para quarto de casal tem inúmeras leituras, veja essa com réguas de madeiras e iluminação

 

Qualquer prateleira pode ser uma atração, mas cuidado com o que for colocar nela, veja o equilíbrio correto de objetos

Pedras são revestimentos eternos, principalmente se colocadas de forma “natural”, parecendo realmente uma parede antiga, mas cuidado para não pesar, só uma parede!

Olha este visual super clássico, está super aconchegante e convidativo, mas só serve para quem curte arte e história, e não tem medo de certas bizarrices

Ótima ideia para dividir ambientes de forma bem transparente e ainda poder projetar imagens como TV, filmes e shows

Autor: - Categoria(s): interiores, pergunte que respondo Tags: , ,
17/07/2009 - 11:02

Arquiteto pra quê?

Compartilhe: Twitter

Capitulo de hoje: show em instalações hidraúlicas

Autor: - Categoria(s): construção, vida de arquiteto Tags:
16/07/2009 - 12:50

Como revestir escadas

Compartilhe: Twitter

a minha escada abre para os dois lados.Posso fazer ela em carrara e o piso de porcelanato branco?Consigo fazer uma simulação no pc de como ficaria a casa se fosse escolher daquele jeito?

Andrezza,

Me chamou a atenção a sua pergunta, pois hoje em dia você já consegue fazer os degraus da escada em porcelanato.Na Portobello, onde costumo ir bastante, eles tem serviço de corte especial para porcelanatos deles.Assim você poderá deixar tudo uniforme usando porcelanato em todo piso.Só não use polido na escada, porque acidentes ocorrerão!

Se mesmo assim quiser usar mármore carrara vai ficar SHOW, nem precisa fazer simulação.Como o Carrara tem fundo branco ele combina com outros revestimentos de fundo BRANCO.

Sobre fazer simulações no computador elas são feitas dentro de um serviço prestado pelo seu arquiteto ou decorador, escolha um!

Autor: - Categoria(s): dicas, pergunte que respondo Tags: , ,
15/07/2009 - 12:10

Arquitetos de sucesso

Compartilhe: Twitter

ola ..sou universitaria, cursando terceiro ano de arquitetura e estou preocupada com o futuro, pois vejo ke as perspectivas de sucesso sao poucas pelo fato de faculdade nao ser muito compativel com a realidade e pela falta de oportunidade de trabalho;

Olá Alexsandra,

Realmente as perspectivas de sucesso são minimas em arquitetura e em todas as outras carreiras.E pensar que cogitei prestar astronomia…Também queria fazer medicina legal e viver fazendo autopsias…

Mas falando sério, existem muito poucos arquitetos de sucesso.O que quer dizer isso?Arquitetos conhecidos pela mídia certo???E o que é ser conhecido na mídia?É fazer projetos para pessoas famosas?Aparecer em eventos na Caras ou Amaury Jr?Alugar um stand num evento de decoração?

Tirando tudo isso, realmente existem menos ainda arquitetos famosos por sua única e exclusiva competência.Existem muitos arquitetos ilustres , porém desconhecidos do público em geral, mas todos nós arquitetos conhecemos, Paulo Mendes da Rocha, Eduardo de Almeida, Joaquim Guedes, Acayaba, Gasperini, e os mais novos como Fernando Brandão, autor de diversos projetos legais , como as livrarias Cultura, UNA arquitetos que já ganharam diversos concursos, Gui Mattos, autor de uma diversidade muito grande de projetos, desde restaurantes, escritórios, casas…Existem muitos arquitetos fazendo projetos lá fora e não é só o Niemeyer não!

Enfim o que importa mesmo é fazer uma arquitetura de qualidade e que realize o cliente, mas se você quiser fazer um barulho em cima do seu nome é legal contratar assessoria de imprensa e pagar para estar em revistas , mas tem que estar produzindo coisas legais e que valham a pena ser mostradas.E se prepare para investir MUITO!!!

 

Autor: - Categoria(s): pergunte que respondo, vida de arquiteto Tags: ,
04/07/2009 - 10:07

Churrasqueiras típicas argentinas

Compartilhe: Twitter

“Bom dia, Mari! Adquiri um apartamento com churrasqueira na varanda. Estou procurando modelos de churrasqueira onde os pedaços de carvão são depositados em cestos laterais e não sob as grelhas onde são colocadas as carnes. Isso para evitar a produção de fumaça, uma vez que a gordura que se desprende das carnes cai sobre as brasas de carvão que estariam depositadas abaixo. Esse tipo de churrasqueira deve ser construída em alvenaria e não é móvel. Há anos atrás vi um modelo desses numa revista de decoração, só que atualmente não encontro mais. No que puder ajudar agradeço muitíssimo. Abraços e parabéns pelo seu trabalho”  – Tarcizio

Olá Tarcizio, encontrei uma churrasqueira deste tipo acho em sites de busca na argentina, pois , apesar de tudo, eles ainda são conhecidos por seus ASSADOS espetaculares feitos nas PARILLAS. Procure por BARBACOA PREMOLDEADA em sites da argentina http://www.barbacoas.net/barbacoa-premoldeada-simil-ladrillo-color-pi-75.html e vai achar o modelo que deixa o carvão ao lado da grelha e não em baixo.Já fui convidada para uns assados usando esta churrasqueira e realmente fica muito bom!

 

Autor: - Categoria(s): dicas, exteriores, pergunte que respondo Tags: ,
03/07/2009 - 15:11

Estruturas diferentes para casas de madeira

Compartilhe: Twitter

Boa noite, to querendo construir uma casa de madeira e queria que voce me indicasse empresas que fazem estas casas e tb se pode me indicar material de consulta. Sabe o preço médio do m2 para este tipo de empreendimento? Grato!!!

 

Olá Bruno,

Conheci uma empresa chamada Orbital orbital@orbitalestruturas.com.br que tem um portfolio muito interessante de projetos todos em madeira.Também achei a construt-toras: constru-toras@uol.com.br   que é de São Sebastião – São Paulo.

Os arquitetos que projetam residências em geral podem te auxiliar no projeto de arquitetura , layout, luminotécnica etc, e na hora do projeto estrutural você contrataria uma empresa dessas para conceber com o seu arquiteto a estrutura  e depois elas fariam a execução da casa.

Geralmente as casas préfabricadas o valor de m2 está entre R$500,00 e R$700,00 , mas estas empresas fazem estruturas diferenciadas, acho bom pesquisar antes.

Boa sorte

Autor: - Categoria(s): miscelanea Tags:
01/07/2009 - 13:25

Sustentabilidade , esperamos que a moda pegue

Compartilhe: Twitter
Casa Cor 2009: Até que ponto a sustentabilidade é uma realidade nos projetos de interiores?

Que interessante o texto que recebi falando da sustentabilidade.Está tão na moda, que é preciso realmente entender um pouco do assunto antes de achar que usar madeira de demolição torna o projeto reciclável, ou outras materiais naturais…Não podemos nos enganar com este assunto tão sério.Hoje existem profissionais habilitados para nos dar consultorias nesta área, propondo que desde o início do projeto tudo seja pensado sustentavelmente, ou seja, tentar fazer uma edificação se SUSTENTE.É uma tarefa diifcílima, pois temos que quebrar paradigmas de custos um pouco mais altos inicialmente para implantação e a cara dos materiais que nem sempre são as mesmas.

O cliente tem que repensar seus gostos e orçamentos para dar o pontapé inicial num projeto “sustentável”.Existem certos graus de sustentabilidade.Por isso existem orgãos certificadores como o LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) que “pontua” produtos e edificações para estarem o mais perto possível de serem sustentáveis.Já existem no Brasil algumas edificações com o selo e alguns produtos também.O cliente deve estar atento na hora de comprar e especificar produtos que sejam ecologicamente corretos.Como por exemplo materiais de origem reciclada e recicláveis como piso laminado da DURAFLOOR ou tijolos de solo cimento que não são queimados e eliminam desperdício de material além de minimizar o tempo da obra.

Abaixo o texto do Nucleo de Decoração que merece nossa atenção:

“Tema central da Casa Cor 2009, a sustentabilidade ganha destaque nos projetos e na mídia. Mas até que ponto já é uma realidade no cotidiano dos Arquitetos e Designers de Interiores e seus clientes? Basta utilizar produtos ecologicamente corretos? O que torna um projeto sustentável?

O termo sustentabilidade aplicado à causa ambiental surgiu na década de 80 e se tornou um padrão seguido mundialmente. Uma comunidade é sustentável quando satisfaz plenamente suas necessidades de forma a preservar as condições para que as gerações futuras também o façam. Da mesma forma, as atividades processadas por agrupamentos humanos não podem interferir prejudicialmente nos ciclos de renovação da natureza e nem destruir esses recursos de forma a privar as gerações futuras de sua assistência.

Seguindo este conceito, para que um projeto possa (de fato) ser considerado sustentável, precisa ser ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente aceito. Portanto, deve ter um conjunto de características, que vai além da simples utilização de produtos e materiais de origem certificada e cuja utilização não represente um risco ao meio ambiente.

Eventos como as mostras de decoração, que de alguma forma incentivam e mobilizam a população em torno de um futuro mais sustentável para o planeta representam um bom começo para uma arquitetura de interiores sustentável.

Empreendimentos enquadrados no conceito de sustentabilidade devem ser capazes de impactar positivamente os grupos humanos por ele afetados. Para isso, é preciso que a interligação entre esses imóveis (e seus interiores) e a qualidade de vida das pessoas afetadas possa ser observada através do uso racional dos recursos ambientais, o trato dos resíduos decorrentes da sua implantação e uso.

Ao dar preferência por produtos ecologicamente corretos e sistemas que utilizem de forma inteligente os recursos naturais, tanto o profissional, como os empresários e os clientes (população em geral) estarão contribuindo para a aplicação do conceito de sustentabilidade.

Mais que uma estratégia de marketing, a elaboração de projetos de interiores sustentáveis (ou o mais próximo possível do conceito) ainda é um desafio. Entre os principais entraves estão o custo de produtos e revestimentos, ainda elevado, e a aspectos culturais.

Aspectos importantes que definem um projeto sustentável:

– Não deve utilizar CFC ou HCFC no Ar condicionado ou outros equipamentos;
– Possuir um projeto de eficiência energética ou automação, de modo a utilizar a energia da forma mais racional e inteligente (se possível renovável);
– Proporcionará separação, armazenagem e coleta de recicláveis; uso de materiais sustentáveis para limpeza, operação e manutenção;
– Sistema de gerenciamento do lixo proveniente da construção;
– Oferecer a possibilidade de reaproveitamento e de redução do consumo de água potável.
– O imóvel não pode estar localizado em área contaminada ou próxima de mananciais; deve estar próximo de estações de trem ou metrô, incentivando o uso de transporte coletivo pelos moradores;
– O projeto paisagístico deve estar integrado ao habitat;
– Uso de tintas e vernizes, adesivos e selantes, carpetes e compensados com baixa emissão de COV;
– Iluminação natural

O Projeto Sustentabilidade na Prática foi criado pela Silva Porto Consultoria Ambiental com o objetivo de difundir o conceito de sustentabilidade entre as empresas e cidadãos. O Projeto se baseia na ideia de que temos que repensar nosso modo de viver e de produzir para alcançar o desenvolvimento sustentável.

A base do Projeto é o Método REPENSAR, onde são propostas oito ações básicas para quem quer praticar a sustentabilidade. As letras iniciais de cada ação são as que compõem a palavra REPENSA

Reduzir o consumo de recursos naturais e energia
Eliminar substâncias tóxicas e persistentes
Propagar o conceito de sustentabilidade
Empregar energia limpa
Notar a importância das pessoas
Substituir materiais virgens por materiais reciclados
Abolir o envio de resíduos para destinação final
Reutilizar e remanufaturar materiais, produtos e equipamentos

Exemplos na Casa Cor São Paulo 2009:

Helena Viscomi projetou o Loft Sustentável propondo soluções que possam minimizar as agressões ao meio ambiente, que vão desde a base estrutural em aço galvanizado até o fechamento das paredes internas, externas e telhas com placas de material reciclado. A iluminação em LED garante a redução do consumo de energia. Para piso, parede e móveis usou madeira de demolição. Ela instalou um sistema de aquecimento solar para água, instalou um reservatório, receptor de águas pluviais de pias e de drenagem de jardim, desta forma, todo o volume de água pode ser tratado e reutilizado para jardinagem e vasos sanitários.


 

 

 

Em toda a mostra, este é o único espaço totalmente sustentável, pautado para propor soluções de decoração e arquitetura que possam minimizar as agressões ao meio ambiente. Apesar disso, na visão dos jornalistas que participaram da eleição dos melhores projetos da mostra, o Refúgio do Navegador de Débora Aguiar, é o mais sustentável da mostra. Neste espaço, os móveis foram produzidos em madeira ecológica. A mesa de jantar, por exemplo, é produzida em tora reaproveitada e o aparador de madeira tem tampo de fibra natural.

 

 

Em praticamente todos os espaços é possível encontrar exemplos de uso de revestimentos, mobiliários e acessórios ecologicamente corretos. Pisos de madeira de demolição ou reaproveitamento de tacos, ou mesmo as cerâmicas da Lepri – produzidas com o reaproveitamento do vidro de lâmpadas fluorescentes são as principais apostas. Entre os móveis, os destaques são as fibras naturais e a madeira certificada. Produtos reciclados, como o plástico usado por Marcelo Faisal no Jardim da Criança (Casa Kids), e o porcelanato especificado por Jóia Bergamo para o Lobby Concierge (Casa Hotel) têm esta característica.”

 

Autor: - Categoria(s): cidade e cidadania, construção, sustentabilidade Tags: , ,
Voltar ao topo